Polícia investiga grupo terrorista que ameaça Bolsonaro e ministros

O grupo autointitulado “Sociedade Secreta Silvestre” tem feito ameaças ao presidente Jair Bolsonaro e a ministros, incluindo ataques a bomba contra Damares Alves e Ricardo Salles.

A divisão antiterrorismo da Polícia Federal tem investigado o grupo em busca de seus integrantes que se declaram “ecoterroristas” e “anticristãos”. Eles foram responsáveis pela bomba caseira colocada na porta de uma igreja a 50 quilômetros do Palácio do Planalto.

O grupo também assumiu a autoria dos ataques em uma sede do Ibama em Brasília, onde dois carros foram incendiados e onde a polícia encontrou fragmentos de bomba caseira.

A revista Veja teve acesso aos documentos da investigação contra a tal “Sociedade Secreta Silvestre”, incluindo as ameaças feitas por eles em um site. Para os investigadores, as condutas dos envolvidos são “extremamente graves” por conta do uso de artefatos explosivos.

Fonte: Gospel Prime

Lua está encolhendo e sofrendo abalos de terremotos, diz Nasa

Um estudo divulgado pela Nasa nesta segunda-feira (13) diz que a Lua está encolhendo e sofrendo abalos de terremotos. A causa seria o esfriamento de seu interior, um fenômeno que nas últimas centenas de milhões de anos fez com que a Lua ficasse 50 metros menor em diâmetro.

Os terremotos, pela explicação da Nasa, são causados pelas “falhas de pressão” geradas pelo encolhimento na superfície originalmente quebradiça da Lua.

Para chegar nesse dado, os cientistas analisaram mais de 12 mil imagens registradas pela espaçonave Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO), que detectaram trincheiras rasas e colinas criadas a partir da perda de calor e do encolhimento do satélite.

Os sismógrafos colocados na superfície lunar de 1960 à 1970 pelas missões Apollo também foram importantes para analisar essas alterações.

“Achamos que é muito provável que esses oito tremores tenham sido produzidos por falhas que se acumularam quando a crosta lunar foi comprimida (…) indicando que os sismômetros da Apollo registraram a Lua encolhendo e ainda é tectonicamente ativa”, disse Tomas Watters, um dos autores do estudo.

Fonte: Gospel Prime

Alabama proíbe aborto até em casos de estupro

Nesta quarta-feira (15), a governadora do estado do Alabama, Kay Ivey, sancionou uma lei proíbe o aborto no estado, com apenas uma exceção: situações em que a mãe tem risco de morrer.

Em um comunicado, a governadora declarou que toda vida a preciosa. “Hoje eu sancionei o Ato de Proteção da Vida Humana do Alabama. Para os muitos apoiadores do projeto, essa legislação é um poderoso testemunho da crença profundamente arraigada dos cidadãos do Alabama de que toda vida é preciosa e que toda vida é um dom sagrado de Deus”, disse Ivey.

A lei não punirá a mulher que realizar o aborto, mas sim o médico ou pessoa responsável por fazer o procedimento que poderá ser condenada de 10 a 99 anos de prisão.

O Alabama segue outros estados que, recentemente, lançaram leis contra a interrupção da gravidez como Geórgia, Mississippi e Ohio. Esses estados aprovaram projetos que permitem o aborto apenas após a detecção dos batimentos cardíacos do feto.

Defensores do aborto prometem ir na justiça reverter essas leis. No Kentucky, que havia sancionado a lei do batimento cardíaco, conseguiram suspender a legislação em março deste ano.

O direito ao aborto está garantido nos Estados Unidos desde 1973 através de uma decisão da Suprema Corte. Gestações de até 28 semanas podem ser interrompidas sempre que a gestante desejar.

Ao mesmo tempo que alguns estados passam a proibir a interrupção da gravidez, no estado de Nova York aprovaram este ano uma lei que legaliza o aborto até o nascimento do bebê com a justificativa de “proteger a saúde da mulher”.

Fonte: Gospel Prime

“Se não fosse o cristianismo, não haveria libertação de escravos”, diz trineto da Princesa Isabel

O deputado federal Dom Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP) foi vaiado durante a sessão solene em homenagem à abolição da escravatura no Brasil por citar que a libertação dos escravos foi graças ao cristianismo.

O trineto da Princesa Isabel fez um apanhado de dados históricos sobre o fim da escravidão, desde a Grécia antiga, declarando que a escravidão “é parte da natureza humana”, mas que em contexto de paz, regras e com uma constituição surge a consciência e a indignação contra as desigualdades.

Enquanto ele falava na tribuna da Câmara dos Deputados, um grupo de manifestantes do movimento negro, liderados por deputados de esquerda como Erika Kokay (PT-DF) e Talíria Petrone (PSOL-RJ).

Quando Dom Luiz cita o cristianismo, o grupo lança vaias contra ele. “Se não fosse o cristianismo, não haveria libertação de escravos na Europa. Os valores cristãos criaram sim o fim da escravatura nas tribos europeias, deram o norte moral para as famílias fundadoras, encabeçando os seus territórios e nos seus territórios eles declararam o fim da escravatura”, disse.

Enquanto apoiadores da monarquia aplaudiam, o grupo de manifestantes seguiam vaiando o deputado federal que é autor do pedido de homenagem aos 131 anos da assinatura da Lei Áurea, completados na última segunda-feira (13).

Dom Philippe continuou seu pronunciamento listando dois fatores importantes para garantir o fim da escravidão: a criação do Estado e o norte moral dado pelo cristianismo. Ele também citou que a Igreja Católica foi importante para defender o fim da escravatura nos países fora da Europa.

Fonte: Gospel Prime

Jovem é evangelizado em tentativa de suicídio e decide se batizar

No final do mês de abril, Collin Dozier estava dirigindo no caminho de volta para casa, por volta da meia-noite de uma quarta-feira, quando notou um carro parado em uma ponte próxima e sentiu Deus o chamando para lá.

“Parecia alguém batendo na minha porta. Quando isso acontece, você precisa atender”, disse Dozier ao site cristão americano ‘Faithwire’. “Foi simplesmente muito claro para mim”.

Ele percorreu o resto do caminho para casa, mas depois pegou sua scooter elétrica e voltou para a ponte de Lesner, em Virginia Beach (EUA), onde encontrou um homem disposto a se suicidar.

“Eu não queria chegar muito perto dele”, disse Dozier em um depoimento em vídeo compartilhado por sua igreja. “Eu estava a cerca de cerca de 3 ou 4 metros de distância dele e eu me inclinei sobre o corrimão ao lado dele. Então eu disse: ‘Ei cara, o que está acontecendo?’. Não tive resposta”.

O homem de 27 anos — que ainda não teve seu nome revelado — estava pronto a pular daquela ponte e nem sequer olhou para o lado. Mas Dozier não desistiu, em vez disso tentou estabelecer uma conversa e encorajar aquele rapaz que se encontrava em conflitos internos: “Eu disse: ‘Não faça isso. Jesus te ama. Ele está aqui por você”.

Dozier lembrou que naquele momento, suas tentativas seriam em vão sem o poder de Deus sobre ele.

“A única coisa que eu poderia fazer era me voltar para o Senhor e orar”, recordou Dozier. “Então, cheguei mais perto dele, estendi a mão e disse: ‘Senhor Jesus, por favor fale com esse rapaz. Abra os olhos dele agora mesmo. Deixe que ele veja Seu amor’. Eu sei que quando os tempos estão difíceis, essa é a única coisa à qual podemos recorrer”.

Após cerca de 20 minutos, de acordo com a WAVY-TV, a polícia finalmente apareceu. Quando chegaram, o homem que estava pronto a pular virou para o outro lado da grade da ponte, de frente para a água.

O homem – que alegava ter uma arma – ameaçou atirar, tanto em Dozier quanto no policial. Mas isso não impediu Collin, que continuou se aproximando cada vez mais daquele rapaz.

“Eu me lancei”, disse Dozier. “Eu fui em torno de seus braços, os prendi para não se agitassem, nem alcançassem qualquer coisa. Eu pisei no corrimão, o puxei de volta e o joguei na calçada”.

E então…

A partir daí, a polícia interveio, levou o homem sob custódia e o internou em um centro de reabilitação, onde permaneceu por mais de uma semana.

As ações de Dozier tiveram um impacto tão positivo sobre aquele homem que ele começou a ir à igreja com ele aos domingos, após sair do centro de reabilitação. Ele também está sóbrio há três semanas. Dozier disse que contou que acabou descobrindo mais tarde, que até aquela noite em que foi salvo, o homem passou 10 anos, se embriagando todos os dias.

O homem está agora programado para ser batizado.

Dozier, um ex-lutador de Wrestling (luta greco-romana), disse que sua própria fé também foi revigorada após aquela experiência. Ele disse ao ‘Faithwire’ que ele estava orando por Deus para torná-lo “ousado” em sua fé.

“Isso aconteceu por um motivo. Isto não foi por acaso. Eu não posso deixar de compartilhar isso”, disse ele. “Porque isso é totalmente de Deus. Ele me usou para poder fazer isso. Quais seriam as chances de eu — entre tantas outras pessoas — estar lá, naquele momento?”

O nativo de Virginia Beach passou a dizer que “nunca pensou” que Deus iria usá-lo de uma maneira tão poderosa.

“Isso realmente ajudou a aumentar minha fé, porque, pela primeira vez, recebo centenas de mensagens de pessoas, dizendo que elas querem mudar suas vidas e essa história as motivou a fazerem isso”, disse Dozier. “Eu apenas continuo vendo tantos corações mudados com a ajuda dessa história. É incrível”.

Fonte: Guiame

Pastor lista ‘falsos evangelhos’ que estão sendo pregados na igreja hoje

Há cinco falsos evangelhos sendo espalhados pelas igrejas hoje, de acordo com o pastor canadense Erwin W. Lutzer.

Suas reflexões foram feitas em conversa com Darrell Bock, professor sênior de pesquisa do Novo Testamento no Seminário Teológico de Dallas (EUA), em um episódio do podcast “The Table” publicado na segunda-feira (13).

O primeiro dos falsos evangelhos é o da “graça permissiva”, que defende que as pessoas podem ter graça sem transformação pessoal.

“Temos que pregar sobre o pecado e fazer isso com compaixão, para que as pessoas saibam que precisam da abundante e imerecida graça de Deus”, disse Lutzer. “Mas hoje muitas pessoas pregam a graça antes mesmo de as pessoas realmente saberem que precisam dela”.

O segundo falso evangelho descrito por Lutzer é o “evangelho da justiça social”, que deixa de lado a conversão pessoal em nome do assistencialismo.

“A justiça social, por melhor que seja, no seu melhor, não é o Evangelho. Pode ser o resultado do Evangelho, dependendo de como é definida. Você pode ir para a África ver que vários hospitais foram construídos por missionários. Sempre tivemos uma consciência social, mas a justiça social não é o Evangelho. O Evangelho não é o que podemos fazer por Jesus; é o que Jesus fez por nós”, analisa.

O pastor também listou os conceitos da “nova era” como um falso evangelho que está entrando nas igrejas evangélicas. “Fico feliz com a formação de estudos sobre espiritualidade que nos ajuda a caminhar no Espírito, mas muitas vezes, eles são combinados com as religiões orientais”, afirma.

Ele também cita o “evangelho da sexualidade”, no qual as igrejas não denunciam os pecados sexuais. “Há muitos que se declaram evangélicos, mas aceitam o casamento homossexual, porque o conceito de amor está sendo definido de maneira contrária às Escrituras”.

Uma ameaça às igrejas evangélicas apontadas pelo pastor é o “diálogo inter-religioso”, especialmente com os muçulmanos. “Não me oponho aos debates. E, claro, eu também acredito que precisamos fazer amizade com os muçulmanos”, explicou Lutzer.

Por outro lado, Lutzer citou declarações de apologistas islâmicos que ensinam como convencer a sociedade sobre sua visão religiosa, usando argumentos como “o Islã sempre defendeu a justiça das mulheres”, “o Islã sempre esteve na linha de frente dos direitos civis” e “Maomé foi um homem de paz que tentou atrair judeus e pagãos”.

“Como você leva o Islã para um público que provavelmente nunca viu um Alcorão, muito menos leu, ou o Hádice, e como você os vende em uma versão do Islã que será aceitável? Muitas pessoas estão se apaixonando por isso e eu advirto contra isso”, acrescentou Lutzer.

A explicação de Lutzer sobre os falsos evangelhos foi tirada de seu livro, publicado em agosto de 2018, intitulado The Church in Babylon: Heeding the Call to Be a Light in the Darkness (A Igreja na Babilônia: Atendendo ao Chamado para Ser uma Luz nas Trevas).

Fonte: Guiame

Virada Cultural em São Paulo terá palco dedicado inteiramente à música gospel

Nos dias 18 e 19 de maio a cidade de São Paulo oferecerá a 15ª edição da Virada Cultural e este ano o evento oferecerá um palco exclusivo para a apresentação de bandas do gospel.

Montado na Praça da Sé, Marco Zero da capital paulista, o palco receberá artistas como Priscilla Alcântara, Laura Souguellis, Pregador Luo e banda Ao Cubo.

No sábado (18) estão confirmados os cantores: Priscilla Alcântara, Rick Digilio, Dunga, Sarah Farias e Tom Carfi. No domingo se apresentam Anderson Freire, Lito Atalaia, Pregador Luo, Ao Cubo, Coral da Escola de Música Municipal,
Banda Alma Livre (LIBRAS), Laura Souguellis, Vocal Livre, Kemuel e Rosa de Saron.

Os shows começam às 18h do sábado e se encerram às 17h do domingo.

 

Confira a programação completa:

PALCO SÉ – MÚSICA CRISTÃ
SÁB (18) 18h – 19h Priscilla Alcântara
SÁB (18) 19h15 – 19h45 Rick Digilio
SÁB (18) 20h – 21h Dunga
SÁB (18) 22h – 23h Sarah Farias
SÁB (18) 23h15 – 23h45 Ton Carfi
DOM(19) 00h – 01h Anderson Freire
DOM(19) 01h15 – 01h45 Lito Atalaia
DOM 02h – 02h30 Pregador Luo
DOM 02h45 – 03h15 Ao Cubo
DOM 08h – 09h Coral da Escola de Música do Municipal
DOM 10h – 11h Banda Alma Livre LIBRAS
DOM 12h – 13h Laura Souguellis LIBRAS
DOM 13h15 – 13h45 Vocal Livre
DOM 14h – 15h Kemuel LIBRAS
DOM 16- 17h Rosa de Saron LIBRAS
Mestre de Cerimônia – Bianca Pagliarin

Fonte: Gospel Prime

Grávida de bebê anencéfalo não aceitou abortar: “Estávamos fazendo a vontade de Deus”

Em janeiro de 2014 Mariana Torres Roveda e seu esposo, Denis, descobriram que teriam um segundo bebê e a notícia deixou todos felizes e animados. Mas durante o exame de ultrassonografia da 13ª semana de gestação, o médico revelou que o bebê tinha uma má formação no cérebro.

“A médica falou: ‘infelizmente o bebê tem um problema, ele não formou a calota craniana e não tem tratamento, é uma má formação que não é compatível com a vida. Vou fazer um laudo para você levar ao Ministério Público e interromper esta gestação’”, relembra.

Mariana contou que ela e seu esposo tinham alguns meses de convertidos e resolveram que ela não faria o aborto. Em entrevista ao Gospel Prime, ela revela o motivo para escolherem levar a gravidez a diante: “Jesus Cristo, e a certeza de que estávamos fazendo a vontade de Deus”.

O médico que acompanhou seu pré-natal também aconselhou a interrupção da gravidez, uma vez que a legislação brasileira autoriza o procedimento para casos como o dela, quando o bebê não tem cérebro.

 

Alguns familiares do casal também o aconselharam a fazer o aborto, mesmo assim eles negligenciaram esses conselhos e seguiram com a gravidez.

O momento mais difícil na gestação do Davi, nome escolhido após descobrirem que era um menino, foi o último trimestre.

“Nas últimas semanas eu clamava muito a Deus para que me permitisse ficar com Davi, eu sabia que nosso tempo com ele estava se aproximando do fim”, diz Mariana que não teve complicações durante a gestação.

“A fé foi o que nos manteve de pé durante todo esse tempo, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, sentimos Deus a todo instante conosco”, relatou.

O Davi nasceu e sobreviveu por 47 minutos e ela pode conhecê-lo. “Foi o nosso primeiro encontro e a nossa despedida. Eu liberei ele pra Deus, para que Deus pudesse recolhê-lo e foi um processo muito natural, com o coração parando de bater. Em nenhum momento eu me arrependi”, disse.

“Depois do Davi, tivemos mais três gestações, destas 3, 2 eu perdi nas primeiras semanas e atualmente estou grávida de 7 meses, pra honra e glória do Senhor, de mais um menino chamado Yohan que significa Deus é bondoso, ele se formou com perfeição e a gestação segue normalmente”, completou Mariana.

 Fonte: Gospel Prime