Bancada evangélica rejeita imposto para igrejas e critica secretário

Para deputados integrantes da Bancada Evangélica, a criação de um novo imposto seria motivo para que o secretário da Receita Federal, Marcos Cintra, seja destituído do cargo.

“Se ele repetir isso mais umas três vezes, ele cai. O Cintra é meu companheiro dos tempos de deputado. Vou ligar para ele e falar: ‘Ô, meu irmão, fica quieto aí’”, declarou o deputado Lincoln Portela (PR-MG) ao jornalista Guilherme Amado.

Portela lembra que “as igrejas ensinam a ler, pagar imposto e trabalhar, chegam aonde o governo não chega”, logo, não deveriam ser taxadas de imposto.

O deputado pastor Marco Feliciano (Pode-SP) também criticou a fala de Cintra sobre a criação de um novo imposto e ironizou: “Com esse tipo de pessoas no governo, quem precisa de oposição?”.

Fonte: Gospel Prime

Ex-muçulmana evangeliza judeus: “Seu Messias mudou meu coração”

Uma mulher vestida com uma burca se aproximou de uma congregação israelense para contar seu testemunho, relatando que a fé em Jesus mudou sua vida e dizendo: “Seu Messias mudou meu coração; ele me resgatou e trouxe alegria em minha vida novamente. Eu sou uma mulher abençoada”.

Em seu depoimento, também dado ao site “One for Israel”, a mulher – que teve o nome preservado para evitar represálias – contou que cresceu em um país muçulmano e foi criada para odiar judeus, considerando a palavra “Yehudi” (judeu) como um palavrão.

Ela porém se decepcionou com a fé de seu povo quando clamou por várias vezes para que seu pai deixasse de bater em sua mãe, mas não foi ouvida. Ao se mudar para os Estados Unidos, mais uma vez ela se decepcionou quando sua avó faleceu, a deixando sozinha em um país diferente e distante de seus familiares.

Foi então que ela foi apresentada a Jesus. Ela chorava copiosamente na rua e uma mulher se aproximou e a convidou para ir na igreja. Ela aceitou.

“Quando entrei nesta igreja, senti amor e aceitação dessas pessoas como nunca antes. Pela primeira vez na minha vida, ouvi uma mensagem da Bíblia. Foi sobre Yeshua (Jesus), como ele leu no rolo do profeta Isaías: ‘O Espírito do Senhor está sobre mim. Ele me ungiu para pregar o evangelho aos pobres, para curar os de coração partido, dar vista aos cegos e proclamar liberdade aos cativos’”, relembra ela conforme noticiou o Israel Today.

Naquele momento, ele desejou ter liberdade, entendeu que estava cega de tanto ódio e decidiu deixar o islã para se tornar cristã.

“No dia em que dei minha vida para me tornar um seguidor de Jesus, eu disse: ‘Deus, me perdoe. Eu não sabia que odiava o seu povo’”. E tirando a burca, ela anunciou à congregação: “Agora eu não preciso mais disso”.

Fonte: Gospel Prime

Cristãos também são vítimas de perseguição em países com maioria budista

No Sudeste Asiático há muitos países onde o budismo é seguido pela maioria da população, assim como em nações comandadas por muçulmanos, os cristãos também são perseguidos e vivem uma vida desafiadora.

Grupos budistas radicais rejeitam a máxima de que o budismo é uma religião de paz e promovem a violência contra minorias religiosas que tentam sobreviver em seus países.

Cinco países de maioria budista aparecem na lista dos 50 países que mais perseguem cristãos no mundo: Mianmar (18º posição), Laos (19º), Vietnã (20º), Butão (33º) e Sri Lanka (46º). Em comparação à lista do ano anterior, a posição desses países subiu, o que mostra que a violência contra cristãos tem aumentado na região.

Nesses países, monges e outros adeptos da religião ameaçam cristãos, invadem reuniões (cultos e missas) e até agredem fisicamente quem confessa Jesus como Senhor. Segundo o ministério Portas Abertas, a pressão e violência aumentam quando o cristão é um ex-budista.

Casos de perseguição

Baham*, um cristão ex-budista do Laos, foi expulso de sua aldeia depois de se declarar cristão. “Meus amigos e família me disseram: ‘você tem que sair da aldeia e ficar em algum lugar onde Jesus esteja. Este lugar não aceita Jesus e não aceitamos nada sobre ele’”, conta.

Nani* (16) e Nha* (17) são irmãs e aceitaram a Jesus no Laos. A conversão das jovens revoltou a família e, um certo dia, elas foram seguidas enquanto iam até a igreja, espancadas pelo próprio pai e ficaram amarradas por quatro dias enquanto seus familiares a pressionaram a negar Jesus. Ela não O negaram e foram soltas.

“Minha família ainda estava muito chateada com a nossa decisão, por isso agiram dessa maneira”, explica Nha.

“Foi muito difícil não obedecer ao nosso pai, mas queremos obedecer a Jesus mais do que a qualquer um. Sabemos que Jesus morreu por nós e não queremos voltar para nossa antiga religião. Mesmo que seja difícil, queremos segui-lo”, diz Nani.

Fonte: Gospel Prime

Em meio a protestos, pastor profetiza que a libertação da Venezuela virá de Deus

A situação ficou muito tensa nas últimas horas na Venezuela. Existe uma batalha midiática que gera descrença sobre a situação: enquanto o governo diz que está tudo sob controle, os grupos de oposição falam que o governo Maduro chegou ao fim.

A credibilidade do socialismo atualmente é quase zero, exceto para aqueles que, de alguma forma, beneficiam-se com o sistema atual. Imagens divulgadas na internet mostram que militares estão atirando contra o povo e blindados atropelaram deliberadamente os manifestantes contra o governo.

O pastor e conselheiro político Juan Carlos Calderón acredita que “as forças militares não são suficientes para tomar uma decisão sobre o governo. O movimento de Juan Guaidó está apelando para um levante popular que pode impulsionar os militares a dar o passo decisivo para retomar o poder.”

Em meio aos protestos, Calderón disse ter uma palavra profética. “Tudo isso é necessário acontecer. A libertação da Venezuela não vem da mão de homens, o próprio Deus irá decidir a batalha”.

“Deus vai nos surpreender… para que todos tenham de reconhecer, não só na Venezuela… o mundo inteiro vai reconhecer que não seria possível a menos que Deus intervisse e ninguém levará a glória que pertence somente a Deus”, disse Calderón.

O pastor venezuelano afirma que “é hora de separar as emoções e olhar para o que Deus falou. Deus disse que não entregaria a Venezuela a Satanás, porque há um pequeno remanescente que não dobrou o joelho diante dos ídolos”.

Fonte: Gospel Prime

Família sobrevive a tornado enquanto criança orava: “Deus estava conosco”

Fortes tempestades provocaram um caminho de destruição no Texas e Louisiana, nos Estados Unidos, entre quarta e quinta-feira (25). Pelo menos cinco pessoas morreram devido à força do tornado.

Na cidade de Converse, a casa de um pastor da Igreja Batista foi uma das afetadas pelo tornado. Na quinta-feira, a esposa do pastor Danny, Dawn Asbell, estava com o filho na residência quando a estrutura da casa começou a tremer. Em instantes, árvores caíram a poucos centímetros da moradia.

“Deus definitivamente estava conosco ontem à noite”, disse Dawn, a mãe, de acordo com o site Baptist Message. “Eu normalmente não fico com medo, mas a noite passada foi diferente. Noah era uma rocha; ele estava mais calmo do que eu. Ele disse: ‘Mamãe, vamos orar’. Então nós oramos”.

Dawn e seu marido, que estava fora da cidade no momento do incidente, estão gratos a Deus por terem suas vidas poupadas e por sua igreja ter apenas uma janela quebrada.

“Quando coisas assim acontecem, você se lembra do que é importante”, disse Dawn. “Não se preocupe com as pequenas coisas”.

As igrejas locais estão se unindo em oração pelas vítimas da tragédia e trabalhando para ajudar as pessoas afetadas pela tempestade. Os membros da equipe de ajuda humanitária do ministério Rolling Hills prepararam refeições para aqueles que foram impactados.

A Igreja Foundry, em Sterlington, está arrecadando lonas, enquanto as denominações First West e Christ Church estão enviando equipes de limpeza para os bairros.

O governador de Louisiana, John Bel Edwards, elogiou a comunidade religiosa por ajudar na limpeza.

“O que nós vimos até agora em Ruston e em todo o estado da Louisiana tem sido moradores fazendo o que fazem de melhor, sendo vizinhos uns dos outros”, afirmou Edwards. “Especialmente a comunidade da fé, tem sido tremendo o número de grupos que estão cozinhando para os socorristas e para aqueles cujas casas foram danificadas”.

Fonte: Guiame

“Períodos de pressão podem levar ao crescimento espiritual”, diz T.D. Jakes

T.D. Jakes já foi chamado pela revista Time de “Pastor da América”. Líder da megaigreja The Potter’s House Church, o bispo defende que “algumas das melhores coisas acontecem quando somos esmagados e pressionados para o que Deus nos projetou para ser”.

A vida de Jakes é feita de desafios e isso faz dele um homem bem-sucedido. Além de pastor de uma megaigreja, é autor e diretor de cinema de sucesso, para citar alguns de seus feitos. Mas nem sempre foi assim, Jakes gosta de refletir sobre seus humildes começos em West Virginia.

Ele conta que durante uma época de sua vida, antes do ministério, como empreendedor foi um grande fracasso em começar seu próprio negócio.

Mesmo depois que Jakes decidiu responder ao chamado ministerial, a estrada à sua frente não foi fácil. Ele lembra que não teve chance de pregar por sete anos depois que decidiu seguir o ministério.

Jakes conta que para não desperdiçar esse tempo, nesse período ele escrevia diversões sermões – muitos dos quais ele acabaria usando mais tarde em sua própria vida.

O bispo disse ainda que esta temporada de espera foi o que o levou a criar a Igreja The Potter’s House.

Jakes compartilhou que essas experiências difíceis em sua vida mostraram a ele que “nos momentos em que parece que Deus está nos pressionando e esmagando, Ele está na verdade nos ensinando a escutar o que Ele está dizendo”.

Em seu livro best-seller Crushing: God Turns Pressure Into Power, Jakes escreve porque não devemos sentir medo ou ansiedade por sermos pressionados. Na verdade, Jakes argumenta que devemos recebê-los.

Em uma entrevista com Christian Headlines, Jakes destacou a importância de ambos, permitindo que Deus seja o Juiz de sua vida e permitindo que Ele trabalhe em Seu plano para você.

Quando perguntado sobre os altos e baixos de seu ministério, Jakes admitiu que, embora os outros possam vê-lo como um personagem maior que a vida, ele não é diferente de outros pastores. Jakes enfatizou que ele, como todos os outros, não está imune às pressões da vida.

Jakes, que é pai de cinco filhos, escreve em seu livro como as pressões do mundo afetaram sua vida. Em Crushing, o pastor escreveu a experiência de como sua filha Sarah, que tinha 13 anos na época, contou a ele que estava grávida.

Ele também compartilha sua luta ao assistir seu ministério florescer enquanto também assistia sua mãe morrer com alzheimer.

Jakes disse que “a maioria das pessoas quer a promessa e não o processo”. É No processo, no entanto, argumenta Jakes, onde vemos alguns dos maiores tesouros de Deus para a nossa vida.

Ele também enfatizou que está preocupado com os desejos de alguns de entrar no ministério para se tornarem famosos em vez de eficazes. “Quando Deus me chamou para o ministério, meu desejo era ser eficaz, não famoso”.

Segundo ele, muitas pessoas pensam que quando chegam a um certo status de sucesso, os problemas da vida cessam. “Isso simplesmente não é verdade”, declarou.

Quando perguntado por que ele achava necessário ser tão autêntico em seu último livro, ele respondeu: “Eu pensei que isso encorajaria as pessoas a ficarem firmes”. Esse é o núcleo do ministério de T.D. Jakes.

Fonte: Guiame