Evangelista relata avivamento no Oriente Médio: “Vi mil muçulmanos se renderem a Cristo”

Apesar da intensa perseguição aos cristãos, o Oriente Médio está sendo marcado por um avivamento, de acordo com Vernon Brewer, fundador da organização missionária World Help.

Ele conta que este movimento está acontecendo, em especial, no Irã e ao longo da fronteira com a Síria. “Só no ano passado, em uma clínica médica na fronteira com a Síria, vimos 1.000 muçulmanos se tornarem seguidores de Cristo”, disse Brewer ao site Charisma News.

A World Help faz parcerias com organizações locais para equipar as comunidades com itens essenciais, como alimentos, medicamentos e Bíblias.

“Quando perguntei aos voluntários da clínica qual era o seu método evangelístico, eles disseram: ‘Não temos uma estratégia evangelística. Tudo o que fazemos é mostrar a eles o amor de Jesus e Cristo atender às suas necessidades’”, conta Brewer.

Um dos voluntários da clínica disse a Brewer: “Um por um, eles pedem para falar conosco em particular, e o assunto é sempre o mesmo. ‘Por que você está fazendo isso? Por que você é tão diferente? Como posso ter o que você tem?’”.

“Eu apenas acredito que é o amor de Jesus Cristo que atrai homens e mulheres para Ele como um ímã”, observa Brewer.

No Irã, ele diz que as pessoas estão chegando à fé a taxas históricas. “Não há Bíblias suficientes para acompanhar o crescimento da igreja clandestina”, comenta Brewer.

Perseguição no Irã

Durante décadas, o Irã esteve fechado ao mundo e ao Evangelho. Mas recentemente, muitos iranianos se desiludiram com o Islã e estão abrindo seus corações para Jesus Cristo como seu Salvador.

Apenas algumas décadas atrás, estimava-se que menos de 500 cristãos de origem muçulmana viviam em todo o país. Hoje, há pelo menos 800 mil seguidores de Cristo no Irã. No entanto, existem apenas cerca de 20 igrejas “acima do solo” no país.

Os cristãos são forçados a se reunir secretamente para evitar a perseguição de vizinhos radicais islâmicos, membros da família e autoridades. Por causa da necessidade de sigilo, as Bíblias não podem ser amplamente distribuídas e são extremamente escassas.

Líderes cristãos estimam que, apesar das probabilidades, o número de cristãos no Irã continuará crescendo exponencialmente nos próximos anos.

De acordo com Emily Fuentes, porta-voz da Portas Abertas nos Estados Unidos, o Irã tem a população evangélica que cresce mais rápido no mundo. “As igrejas domésticas estão tendo um crescimento tão rápido em conversões, que é inigualável com qualquer outro país do Oriente Médio”, disse ela.

Fonte: Guiame

Membro de gangue se converte na prisão e leva 200 detentos a Cristo

Casey Diaz é filho de imigrantes salvadorenhos que foi criado em Los Angeles. Ele tinha apenas 8 anos de idade quando decidiu matar seu pai usando um aquecedor a gás portátil. Ele conta que empurrou o rosto do pai, bêbado, para que ele inalasse o gás e morresse. A infância difícil com o pai o empurrou para uma vida de crimes e gangues.

Casey foi preso na Penitenciária Estadual de Folsom, onde, tempos depois, teve um encontro sobrenatural com Jesus. Ele viu Jesus, que lhe mostrou em uma visão sua vida de pecados. Após a conversão e durante sua prisão, Casey levou mais de 200 detentos a Cristo.

Ainda menino, Casey entrou para uma gangue, empurrado pelo relacionamento com seu pai, que era alcoólatra, violento e abusivo. Sua ficha criminal crescia e tempos depois, foi preso.

Com apenas dezesseis anos, Casey foi condenado a mais de doze anos em confinamento solitário na mais dura prisão da Califórnia, como um dos infratores mais violentos do estado. Ele pensou que sua vida havia acabado.

Na cadeia tentou estrangular um detento e foi enviado para uma solitária. Lá recebeu a visita de uma mulher cristã, chamada Frances, para um estudo bíblico mensal.

Casey a questionou: “Você é louca? Do que está falando? Estudo da Bíblia? Ela não sabe com quem está falando”.

Frances disse a Casey: “Você sabe, eu vou estar orando por você e te colocando na minha lista de desejos de oração”. Casey disse que Frances sempre usava essas palavras.

E ele a respondia: “Você pode fazer o que quiser, tudo bem. Mas estou deixando você saber logo de cara, eu não estou interessado em qualquer um dos seus estudos bíblicos ou qualquer coisa religiosa em que você traga”

Durante um ano, uma vez por mês, Frances visitava Casey e ele se recusava a ouvi-la. Mas todas as vezes, a resposta dela era a mesma: “Estou orando por você e Jesus vai usar você”.

Ouvindo a voz de Jesus

Uma noite, em seu segundo ano de solitária, Casey estava acordado, deitado em sua cama quando teve uma visão.

“De repente, comecei a ver o que parecia ser um rolo de filme. Eu via imagens que só eu sabia a respeito de mim na infância. Apareciam alguns detalhes, como a primeira coisa que eu roubei aos 7 anos, depois carros que eu roubei. O primeiro esfaqueamento que eu fiz”, contou Casey.

Ele diz que na sequência, uma cena diferente apareceu. “E pude ver um homem carregando uma cruz. E vi as marcas em seus pés e mãos”.

Casey diz que o homem o chamou por um nome diferente do que as pessoas o chamavam e o conheciam.

O homem disse: “Darwin, eu fiz isso por você”. Casey disse que o homem o chamou pelo seu nome de verdadeiro, que é Darwin.  “E eu podia ouvir na minha cela, audivelmente, até mesmo a respiração dele”, contou

“Eu estava no meio daquele andar e comecei a chorar. Chorava incontrolavelmente. E dizia Deus ‘Eu sinto muito por esfaquear essa pessoa e esfaquear essa pessoa aqui. Eu não sabia o que estava fazendo’”, relatou.

Casey disse que não entendia o que estava acontecendo, mas sabia que algo havia acontecido ali, pois ele sentia uma liberdade que nunca havia experimentado em sua vida.

Vida para Jesus

Casey disse que Jesus lhe pediu para falar com o capelão da prisão.

Assim que ouviu o relado de Casey, o capelão lhe explicou que “o que aconteceu naquela cela foi Deus dizendo que já te perdoou. É por isso que você se sente tão livre”.

Ele orou com o capelão e se entregou a Cristo.

Casey disse: “Foi Deus lidando comigo daquela forma, removendo de mim o desejo de querer ferir as pessoas. Aquilo foi embora sobrenaturalmente”.

A fé de Casey foi testada quando, aos 18 anos, ele foi solto da solitária e recebeu um golpe em sua cabeça de um preso que chegou à cela com uma faca. Casey entendeu que aquilo era como um desafio que diria se ela se manteria como um cristão e deixaria a gangue.

A resposta de Casey ao homem que o provacava foi: “Eu não posso atacar você.” O homem insistia e o provocava: “Mas o que você está fazendo, eu vou rolar com você”.

Mas a fé de Casey o ajudou e aquele homem se tornou “a primeira pessoa que eu levei para o Senhor, aquele era o cara que foi designado para me fazer bem-sucedido como cristão”.

Nos cinco anos restantes de sua sentença, Casey levaria mais de 200 detentos a Cristo. Aos 25 anos, Casey foi libertado.

Com o tempo, ele perdoou seu pai, que acabou dando sua vida a Cristo também. Hoje, Casey possui um negócio de sucesso e vive em Los Angeles com sua família.

“Vir a Cristo foi, é e sempre será a melhor decisão que qualquer homem poderia tomar. Ele é tão implacável em sua busca por nós. Você pode não perceber imediatamente. Mas Deus está atrás do pecador. Seu favor e Sua misericórdia e Sua graça, te toca”, testemunhou.

Lembranças

A violência do pai fazia com Casey o odiasse. “Ele batia em minha mãe bem na minha frente. Eu me lembro de vê-la em um armário com sangue escorrendo e eu não podia fazer nada”, descreveu

Casey disse que em uma ocasião o pai o agarrou pelos ombros e lhe disse: “Nunca mais me chame de pai. Nunca me chame de pai.”

Ele disse ter sentido um enorme vazio. “Você se sente inútil. Você se questiona ‘Por que estou aqui?’ Eu fiquei com raiva. Eu fiquei muito bravo”, lembra.

Diante desses episódios com seu pai, Casey encontrou um objetivo de vida em uma gangue. Ele se tornou muito violento, esfaqueando sua primeira vítima com apenas 11 anos de idade.

Casey explica que “o que tornou fácil para eu esfaquear alguém é que colocava o rosto do meu pai em cada uma das minhas vítimas.”

Mais vítimas seguiriam, e Casey passou a ter uma longa ficha criminal. Ele cresceu no mundo das gangues, temido e caçado por gangues rivais. Aos 16 anos, Casey foi condenado a 12 anos em uma instalação de correção juvenil por homicídio em segundo grau e 52 acusações de assalto à mão armada.

Ele governou a prisão infestada de gangues, até atacar outro preso. Casey conta que o estrangulou quase até a morte. Foi essa situação que o colocou em confinamento solitário onde teve seu encontro com Deus.

Casey escreveu a história de sua vida que está no livro “The Shot Caller: A fuga milagrosa de um gangbanger latino de uma vida de violência para uma nova vida em Cristo”, recém-lançado nos EUA pela editora Thomas Nelson.

Hoje Casey gosta de conduzir aulas de treinamento de discipulado e compartilhar sua história em todo o país. Ele se diz grato a Deus por ter recebido uma segunda chance na vida. Casey é casado com Sana, pai de três filhos e pastor comunitário em uma igreja local em Burbank, Califórnia.

Fonte: Guiame

Novo ciclone está prestes a atingir Moçambique e missionários pedem orações

Outra tempestade tropical está indo em direção a Moçambique, que ainda se recupera da devastação causada pelo ciclone Idai.

A nova tempestade, o ciclone tropical Kenneth, se fortaleceu rapidamente na quarta-feira, com uma velocidade de 140 km/h, e poderá continuar se intensificando à medida que se move sobre as Ilhas Comores, na costa sudeste da África. A previsão é que o norte de Moçambique seja atingido nesta quinta-feira (25), aproximadamente 1.000 quilômetros da região afetada pelo Idai.

“Os moradores da fronteira entre Moçambique e Tanzânia devem se preparar para a tempestade ao longo das costas, chuvas fortes e ventos com força de furacão”, alertou a Nasa.

Na Tanzânia, espera-se que Kenneth atinja a área costeira de Dar es Salaam, a cidade portuária de Tanga e a ilha de Pemba, de acordo com a Agência Meteorológica da Tanzânia. Ventos fortes e chuva podem afetar a bacia do Lago Vitória, suas regiões montanhosas e sua costa, segundo meteorologistas.

Embora a região atingida pelo Idai será poupada, Kenneth irá afetar Moçambique apenas um mês após a tempestade ter matado mais de 700 pessoas e desalojado milhares. Isso causou cerca de US$ 1 bilhão em danos ou quase 10% do PIB do país.

A missionária Heidi Baker, fundadora da organização Iris Global, pediu orações pela nação. “Por favor, orem por um milagre e misericórdia para Moçambique! Ore pela nossa base em Pemba e por todas as nossas igrejas na área”, disse em um post no Facebook.

“Quero incentivar todos a se juntarem a nós em oração para que essa tempestade seja absolutamente dissipada e volte para o oceano. Ore pela proteção de nossa base, nossas igrejas e nossas famílias”, pede Will Hart, CEO do Iris Global.

Kenneth pode ser mais forte, mas menos devastador do que Idai

A tempestade pode se fortalecer para o equivalente a um furacão de categoria 3, com ventos de até 195 km/h. Isso o tornaria Kenneth mais forte do que a Idai quando atingiu o centro de Moçambique e poderia classificá-lo entre as tempestades mais fortes que já atingiram o país.

No entanto, não se espera que Kenneth tenha um impacto tão devastador no país quanto Idai, que provocou fortes chuvas dias antes e depois do terremoto em 15 de março, com ventos próximos de 175 km/h.

O norte de Moçambique também não é tão povoado como a Beira, o núcleo populacional atingido por Idai. Vários rios se juntam e fluem para o Canal de Moçambique, um fator que tornou a região mais vulnerável a inundações.

Além disso, a região norte do país não teve chuvas intensas nos últimos dias, o que pode amenizar o impacto das inundações em comparação com Idai.

Fonte: Guiame

Bruxas apoiam Vladimir Putin com rituais e preces políticas

Um grupo de bruxas se reúne para realizar rituais e preces a favor do líder russo Vladimir Putin. Patrióticas, essas feiticeiras são conhecidas por fazerem parte do “Império das Bruxas Mais Poderosas”.

Nas reuniões, elas surgem encapuzadas e com túnicas, fazem um grande círculo e então baixam suas cabeças para um momento de silêncio e depois entoam preces misturadas com slogans políticos.

“Que venha com grandeza, o poder da Rússia, que guie o caminho de Vladimir Putin de forma correta por meio de minha reza. Respire, Mãe Terra, abraçando a Rússia por todos os lados”, diz a autoproclamada chefe do grupo, Alyona Polyn.

Ao continuar com a oração Polyn amaldiçoa os inimigos da Rússia: “Ó, poder primordial, regresse ao abismo aqueles que odeiam a Rússia. Que a Rússia se levante e se afaste da penúria e da pobreza e que os próximos dias abram as portas da felicidade”.

Em entrevista a jornais locais, Polyn declarou ser herdeira “de uma sabedoria ancestral” e que em todas as suas cerimônias ela faz manifestações de apoio ao país e ao presidente Putin.

O ocultismo é uma prática popular na Rússia, estima-se que o país tenha a maior quantidade de praticantes do que qualquer outro lugar na Europa Ocidental.

Putin mantém proximidade com líderes da Igreja Ortodoxa Russa e nunca demonstrou inclinações a práticas ocultistas. Acredita-se que esses grupos religiosos usem o apoio político para garantir sua legalidade.

Fonte: Gospel Prime

Cuba julga casal de pastores que recusou dar educação socialista a seus filhos

O pastor Ramon Rigal e sua esposa, Ayda Expósito, foram detidos no início desta semana em Guantánamo, confirmou a organização britânica Christian Solidarity Worldwide (CSW). O motivo é a recusa do casal em enviar seus filhos para escolas públicas devido a educação socialista e ateísta que lá é transmitida.

A família, que pertence à Igreja de Deus em Cuba, recebeu a informação de que seria julgada 30 minutos antes do início do julgamento, em 18 de abril, e prosseguiu durante a tarde, mas foi suspensa até segunda-feira, 22 de abril.

No jornal Diário de Cuba, a jornalista independente Yoe Suarez relata que em dois processos judiciais anteriores contra o casal Rigal, “o promotor indicou que a educação em casa ‘não é permitida em Cuba porque tem uma fundação capitalista’ e que apenas professores [do governo] são preparados ‘para instilar valores socialistas’”.

Os filhos de Rigal e Expósito estão matriculados em uma escola cristã particular localizada na Guatemala e estão concluindo sua educação on-line por meio de um programa oferecido pela escola. Rigal afirmou que seu desejo de educar seus filhos em casa decorre de sua preocupação, como cristão, com o papel das escolas cubanas em doutrinar as crianças no socialismo e no ateísmo.

Pais cristãos, especialmente os pastores, relatam que seus filhos são muitas vezes escolhidos por ridicularização ou intimidação pelos administradores da escola por causa de suas crenças religiosas. Em Cuba não existem alternativas legais às escolas estatais.

O julgamento sumário de Rigal e Expósito vem em um momento particularmente tenso para grupos religiosos em Cuba após a adoção de uma nova constituição que enfraqueceu as proteções à liberdade de religião ou crença e que muitos líderes religiosos se opuseram publicamente.

Nas últimas semanas, algumas das maiores denominações protestantes, incluindo a Igreja Metodista, a Liga Evangélica e a Convenção Batista Oriental relataram que foram proibidas de receber visitantes estrangeiros, em aparente retaliação à formação de uma Aliança Evangélica Cubana independente.

Nos últimos dez dias, vários pastores associados ao Movimento Apostólico, incluindo os pastores Alain Toledano e Marcos Perdomo, foram citados e interrogados pela polícia. No Granma, um pastor da Igreja Nazarena informou que recebeu na quinta-feira a notícia de que a propriedade onde sua igreja está localizada há 20 anos está sendo confiscada.

Anna-Lee Stangl, chefe conjunta da Advocacia da CSW, disse: “Estamos profundamente preocupados com o julgamento sumário de Ramon e Ayda e a perspectiva de que ambos possam estar enfrentando uma pena de prisão significativa, deixando seus filhos nas mãos do governo cubano”.

Ela disse ainda que “numerosos grupos religiosos, incluindo a Igreja Católica, levantaram repetidamente a questão da falta de opções em Cuba quando se trata de educação primária e secundária, especialmente para pais que não querem que seus filhos sejam ensinados de um currículo que promove agressivamente o ateísmo, sem sucesso”.

A advogada informa também que, ao longo dos anos, a CSW recebeu inúmeros casos de crianças de pastores que foram agredidas e ridicularizadas na escola por causa de suas crenças religiosas, chegando ao ponto de causar sérios traumas psicológicos.

“Isso é inaceitável. Pedimos ao governo cubano que liberte Ramon e Ayda e garanta que todas as crianças em Cuba possam estudar livres de assédio, independentemente das crenças religiosas de sua família”, reivindica Anna-Lee.

Educação cristã

O casal de líderes religiosos ganharam notoriedade em 2017, quando enfrentaram um julgamento por reivindicar seu direito à educação escolar em casa, ou ensino familiar, de sua filha mais velha, Ruth.

Essa prática, comum em países da Europa e dos Estados Unidos, é proibida em Cuba, onde o sistema educacional está sob o controle do Partido Comunista.

Uma fonte de liderança evangélica próxima a Rigal explicou que o casal “lidera nove famílias há mais de dois anos que tiraram as crianças de escolas públicas e iniciaram o programa de aulas em casa”, com enfoque cristão.

“Por mais de um ano, o governo não pôde mudar de opinião e sancionou Rigal e sua esposa no tribunal”, disse a fonte.

“As outras nove famílias não foram sancionadas na época, nem as crianças retornaram às escolas estaduais”, acrescentou a fonte.

Em maio de 2017, Rigal e Expósito foram detidos pela polícia.

“Aqui os pais não têm o direito de dar aos filhos a educação que eles querem, mas a que é oferecida pelo Estado através de seu sistema educacional”, disse a fonte da igreja.

Após os dois processos judiciais, o casal foi condenado a um ano de prisão domiciliar, o que levou a uma manifestação em frente à sede diplomática de Havana, em Washington.

“Agora foi que eles reagiram novamente”, disse a fonte evangélica em referência à detenção nesta quarta-feira, coincidindo com o fim do ano de prisão domiciliar.

Em um vídeo publicado pela Associação de Defesa Legal da Escola Doméstica (HSLDA, na sigla em inglês), Rigal denunciou que o governo cubano não os quer no país, mas tampouco os deixam sair.

Sua filha Ruth foi ameaçada pelas autoridades. “Eles disseram que iam me separar dos meus pais e eles seriam mandados para a prisão”, disse a jovem.

“Já tínhamos muitas coisas vendidas e as passagens aéreas compradas, mas não nos deixaram sair do país”, lamentou Expósito.

HSDLA coletou mais de 30.000 assinaturas na internet, na citizengo.org, exigindo o fim da violação do direito das famílias cubanas de praticar homeschooling.

Fonte: Guiame

EUA vão revelar plano de paz entre Israel e palestinos em junho, após o Ramadã

O “acordo do século” que propõe estabelecer paz entre israelenses e palestinos será divulgado pelos Estados Unidos após o Ramadã, em junho. O anúncio foi feito por Jared Kushner, conselheiro sênior do presidente Donald Trump na última quarta-feira (17).

Kushner falou para cerca de 100 diplomatas e embaixadores na Blair House, em  Washington, D.C. Ele pediu para que mantivessem a mente aberta em relação ao plano, pois o acordo exigirá comprometimento de ambos os lados.

Ele destacou que o plano não comprometerá a segurança de Israel e terá um componente político “muito detalhado”, bem como o componente econômico.

Jason Greenblatt, representante especial de Trump para as negociações internacionais, disse na terça-feira (16) que a equipe de paz não divulgará nenhum detalhe antes do prazo. “A especulação não ajuda ninguém e prejudica o esforço. Nós gentilmente sugerimos que parem os jogos de adivinhação”, escreveu no Twitter.

O anúncio de Kushner foi dado depois que palestinos disseram que o plano estaria “morto”, porque removeu questões centrais como Jerusalém, assentamentos e refugiados. Os palestinos afirmam que o plano coloca todos os assentamentos da Cisjordânia sob a soberania israelense, uma afirmação reforçada pela campanha do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

Greenblatt disse que, embora apenas Israel e palestinos possam resolver o conflito, ele acredita que o plano pode ajudá-los a alcançar esse objetivo. “Estamos trabalhando muito para elaborar o que acreditamos ser um plano justo, realista e implementável. Acordos justos exigem compromissos”.

Preocupações

A comunidade evangélica teme que as concessões prometidas pelo governo Trump incluam a perdas ao território israelense. O pastor Tony Perkins publicou um artigo de opinião no Washington Times pedindo a Trump para incluir Judeia e Samaria dentro das fronteiras soberanas de Israel, abstendo-se de qualquer equação de terra.

O embaixador israelense nos EUA, Ron Dermer, disse que o governo Trump e seus enviados no Oriente Médio deveriam dar confiança aos judeus. Falando em evento pré-Páscoa em Washington, ele garantiu que o tão esperado plano de paz irá considerar os interesses de Israel.

“Eu sei que muitas pessoas estão preocupadas com o plano de paz que será lançado em breve. Mas tenho que dizer que, como embaixador de Israel, estou confiante de que este governo, que tem apoiado Israel, levará em conta as preocupações vitais de Israel em qualquer plano que eles apresentarem”, disse Dermer.

Enquanto isso, a União Europeia rejeitou a ideia da soberania israelense na Cisjordânia, afirmando que criaria caos e violência no Oriente Médio. “Se não for uma solução de dois Estados, não será uma solução”, disse Federica Mogherini, alta representante da UE para Política Externa, em discurso no Parlamento Europeu em Estrasburgo.

Soberania israelense

Israel capturou o território da Cisjordânia na Guerra dos Seis Dias, mas nunca o anexou. A área C da Cisjordânia, onde os assentamentos israelenses estão localizados, está sob o domínio militar e civil de Israel. As áreas A e B estão sob a autonomia da Autoridade Palestina.

Netanyahu prometeu no início deste mês que, em seu próximo governo, anexaria as partes da Área C da Cisjordânia.

“A UE reconhecerá as mudanças nas fronteiras anteriores a 1967 somente se for acordado pelas partes, inclusive em relação a Jerusalém”, disse Mogherini. “A UE não reconhece a soberania israelense sobre qualquer um dos territórios ocupados por Israel desde junho de 1967, em consonância com o direito internacional e com as resoluções 242 e 497 do Conselho de Segurança da ONU”.

Mogherini disse que essa mesma política se aplica às Colinas de Golã, criticando a decisão do presidente Trump de reconhecer a soberania israelense sobre o local.

Fonte: Guiame

Garoto de 5 anos sobrevive a queda do terceiro andar e médicos reconhecem milagre

Um menino de cinco anos, que foi atacado e violentamente jogado do terceiro andar de um shopping nos EUA, está desafiando as probabilidades e atordoando os médicos no que está sendo chamado de “milagre”, de acordo com o pastor da igreja de sua família.

O pequeno Landen Hoffman estava fazendo compras com sua mãe e amigos no dia 12 de abril, quando foi jogado por cima do parapeito do terceiro andar do shopping ‘Mall of América’, do estado de Minnesota, por Emmanuel Aranda, de 24 anos.

O autor do crime disse à polícia que ele tinha ido ao shopping com a intenção de matar um adulto “porque eles geralmente ficam perto do parapeito”, mas não “deu certo”.

A mãe de Landen disse que ela e seu filho estavam do lado de fora de um café no terceiro andar do shopping, quando Aranda, que ela nunca tinha visto antes, se aproximou deles, pegou o menino e jogou-o por cima do parapeito.

Policiais disseram que Aranda ainda empurrou para o lado uma garçonete que tentou detê-lo e tentou fugir, mas foi preso em uma estação de trem, perto do shopping.

Agora, Aranda está sendo acusado de tentativa de assassinato premeditado em primeiro grau.

O pastor da igreja na qual a família do garoto congrega está celebrando o fato do garoto ter sobrevivido como um milagre.

“É um milagre que ele não tenha sido morto”, disse o pastor Mac Hammond à congregação.

Hammond lidera a Living Word Christian Church, em Brooklyn Park, Minnesota e compartilhou uma atualização do caso no domingo de Páscoa com a igreja.

Hammond e sua esposa visitaram a família de Landen na semana passada para incentivá-los, orar e celebrar a ceia com eles após o incidente.

Com a queda, Landen teve braços e pernas quebrados e até recentemente acreditava-se que ele teria sofrido traumatismo craniano significativo.

No entanto, o pastor Hammond disse à igreja que recebeu uma ligação do avô de Landen com uma boa notícia após uma ressonância magnética de cinco horas para determinar a extensão dos ferimentos do menino.

“Não houve evidência de danos cerebrais – nem havia inchaço no cérebro”, disse Hammond no domingo. “Sem lesão na medula espinhal, sem danos nos nervos, sem lesões internas que colocam a vida em risco.”

Ciência e milagres

Hammond acrescentou que um de seus médicos assistentes se maravilhou com a saúde de Landen.

“Isso é realmente um milagre. É como se ele tivesse caído de uma bicicleta em vez de ter sido lançado do terceiro andar do shopping”, disse Hammond, citando as palavras do médico.

Hammond também compartilhou durante a mensagem que o Espírito Santo havia dado à mãe de Landen um aviso antes de encontrarem amigos no shopping naquele dia.

“Em suas palavras, um pavor veio, mas ela não sentiu que poderia ir embora porque ela deveria encontrar essa outra mãe e filho lá”, explicou Hammond.

Mas ele diz que ela fez a única coisa que sabia fazer – ela orou.

“Ela chamou os anjos ministradores para protegê-lo”, lembrou Hammond.

Embora os frequentadores do shopping gritado de susto quando Landen se chocou com o chão, as testemunhas disseram que sua mãe gritava “apenas orem!”.

Hammond disse à igreja que aquele era um milagre de Páscoa.

“Isto é poder de ressurreição … isto é o que a Palavra fará. Isto lhe abrirá poder para restaurar o que quer que o inimigo seja capaz de provocar ou afastá-lo completamente”, afirmou o pastor.

De acordo com um post recente na página do GoFundMe criado para a família, Landen está “mostrando sinais reais de recuperação”.

A campanha de angariação de fundos levantou quase US$ 1 milhão para ajudar a cobrir os custos de tratamentos médicos e programas de reabilitação para o garoto.

Fonte: Guiame

Igrejas europeias sofrem profanações e incêndios todos os dias

O Gatestone Institute, organização sem fins lucrativos que defende a democracia e o Estado de Direito, denuncia que diariamente as igrejas europeias estão sendo alvo de profanações e ataques.

Apenas no mês de março, quatro igrejas na Alemanha foram profanadas ou incendiadas. “Nesse país há uma guerra gradual e constante contra tudo que simboliza o cristianismo”, denuncia a PI-News.

Cruzes e estátuas sagradas também estão no alvo dos terroristas que não poupam igrejas e nem cemitérios.

Em muitos casos, os vândalos são muçulmanos imigrantes ou portadores de doenças mentais. Para evitar perseguição, a identidade dos suspeitos são preservadas pela mídia local.

“Quase ninguém escreve ou fala sobre os crescentes ataques a símbolos cristãos. Há um silêncio eloquente tanto na França quanto na Alemanha em relação ao escândalo das profanações e à origem dos perpetradores”, completa a ONG citando reportagens locais.

“Nem uma palavra, nem mesmo o menor indício que de alguma maneira poderia levar à suspeita sobre os migrantes… Não são os perpetradores que correm o risco de serem malvistos e sim aqueles que ousam associar a profanação dos símbolos cristãos à chegada de imigrantes. Eles são acusados de ódio, discurso de incitamento ao ódio e racismo”, diz o site alemão PI News em uma publicação no mês de março.

Em média, duas igrejas são profanadas todos os dias na França, ao longo do ano de 2018 foram registrados 1.063 ataques a igrejas ou símbolos cristãos naquele país. O número é 17% maior que em 2017, quando foram registrados 878 ataques.

Em alguns dos ataques, as cruzes são quebradas, altares destruídos, Bíblias incendiadas, pias batismais derrubadas e as portas das igrejas pichadas com expressões islâmicas do tipo “Allahu Akbar”.

Fonte: Gospel Prime

Cristãos são mortos por terroristas Fulani após apresentação de bebês na Nigéria

Mais de uma dúzia de cristãos, incluindo crianças, foram massacrados por militantes Fulani após um culto de apresentação infantil no estado nigeriano de Nasarawa, na Nigéria.

O ataque, relatado pelo Morning Star News, aconteceu no domingo (14), quando os cristãos da comunidade predominantemente cristã se reuniram para comer depois que crianças foram apresentadas naquela manhã na Igreja Batista Ruhaniya, na aldeia.

Militantes fulanis, que têm cada vez mais alvos cristãos, invadiram o local e abriram fogo indiscriminadamente, matando 17 pessoas. Os militantes alegaram a vida da mãe do bebê, Safaratu John Kabiru Ali, junto com vários outros, alguns dos quais eram crianças de apenas 10 anos. O pai do bebê, John Kabiru Ali, está em estado crítico até o momento, em decorrência dos ferimentos pelos tiros.

Um morador local disse ao Morning Star News que entre os mortos estavam “10 membros da Igreja Batista de Ruhaniya, cinco membros da Igreja Evangélica Reformada de Cristo, um membro da Igreja Evangélica Winning All e um músico tocando para convidados”.

Samuel Meshi, presidente do Conselho do Governo Local de Akwanga, disse à agência que o grupo de cristãos não fez nada para provocar o terrível ataque.

“Eles começaram a filmar esporadicamente em uma comunidade que estava apenas celebrando a dedicação de uma criança depois de um culto na igreja no domingo (14 de abril) em uma igreja batista na área”, disse Meshi.

“As mortes ocorreram na noite daquele dia. Infelizmente, essas pessoas foram mortas a sangue frio simplesmente por nenhuma razão ”, observou ele.

O pastor Samson Gamu Yare, líder comunitário do grupo étnico Mada no estado de Nasarawa, descreveu os assassinatos como “bárbaros” e pediu ao governo federal que tome medidas urgentes para reduzir a ameaça de ataques de pastores extremistas a seu povo.

Tomada nigeriana O Punch observa que o governador do Estado de Narasawa, Umaru Tanko Al-Makura, exigiu que os perpetradores fossem detidos imediatamente.

“Isso é algo que vamos levar a sério. Nós vamos ter uma reunião do Conselho de Segurança e eu já direcionei agentes de segurança para garantir que eles pescariam essas pessoas e as levariam para as reservas ”, disse Al-Makura, de acordo com a Channels TV.

O Major-General Adeyemi Yekini anunciou sua estratégia para rastrear e prender os envolvidos no ataque.

“Dirigi minhas tropas para se mudarem para Akwanga e se juntarem a outras forças de segurança para rastrear os responsáveis ​​por essa crise; vamos apreendê-los para que a justiça possa ser feita ”, disse ele.

A Nigéria classifica-se como o 12º pior país do mundo no que diz respeito à perseguição cristã, de acordo com a Lista Mundial de Perseguição da Portas Abertas de 2019.

Os pastores Fulani são um grupo étnico de mais de 20 milhões na África Ocidental e Central. Eles viajam centenas de quilômetros carregando armas para proteger o gado. Embora eles tenham entrado em conflito com tribos e cristãos indígenas durante séculos, apenas um pequeno subgrupo é extremista e se envolve em ataques, de acordo com o Índice Global do Terror.

No entanto, a Portas Abertas observa que os confrontos se intensificaram nos últimos anos e levaram à destruição de casas e igrejas, bem como a apreensão de terras e propriedades pertencentes a proprietários cristãos. Portas Abertas concluiu que o governo nigeriano historicamente não conseguiu proteger os cristãos, especialmente mulheres e crianças, da violência extremista Fulani.

Em 4 de março, militantes Fulani no estado de Benue teriam atacado três aldeias, matando 23 pessoas com balas e facões, de acordo com a International Christian Concern.

Também em março, 52 pessoas foram mortas, dezenas ficaram feridas e cerca de 143 casas foram destruídas em ataques nas vilas de Inkirimi, Dogonnoma e Ungwan Gora, no distrito de Maro, na área do governo local de Kajuru.

Fonte: Guiame

Franklin Graham prega para 94 mil pessoas na Colômbia: “Jesus é a resposta”

Aproximadamente 94.000 pessoas – entre colombianos e venezuelanos – participaram do Festival Esperança promovido pela Associação Evangelística Billy Graham (AEBG), que foi realizado no período de 18 a 20 de abril em Cúcuta, na Colômbia.

Com ministrações do Pr. Franklin Graham, o evento aconteceu no estádio General Santander nas noites de sexta e sábado. Na quinta-feira, 22.000 pessoas acompanharam crianças em um evento evangelístico paralelo para elas, o FestiKids.

Segundo a AEBG, outras 21.000 pessoas em 34 países assistiram ao Festival online. Treze voluntários estavam presentes em Cúcuta para responder às perguntas espirituais via Facebook ou chat ao vivo.

Situada na fronteira com a Venezuela, Cúcuta absorveu um êxodo em massa de venezuelanos nos últimos anos, à medida que o país de origem dessa multidão enfrenta uma crise humanitária, econômica e grande escassez de alimentos e remédios.

Segundo o site da Associação Evangelística Billy Graham, mais de 7.550 pessoas aceitaram Cristo.

“Nós vemos problemas econômicos no mundo, problemas políticos, vemos guerras, vemos fome, e nos perguntamos se existe um Deus e se Ele se preocupa conosco”, disse Graham à multidão no sábado, um dia antes da Páscoa.

“Jesus”, ele acrescentou, “é a resposta”.

Filho do Pr. Billy Graham, o pastor Franklin explicou à multidão que Jesus “não está mais pendurado na cruz. Ele está vivo. Ele está aqui esta noite, neste estádio. E se você estiver disposto a invocar o nome dele e confiar nele, Deus irá perdoá-lo de seus pecados. Você pode ter paz esta noite com Jesus Cristo”.

Mais de 450 igrejas participaram do evento. “É ainda melhor do que eu esperava”, disse Edgar Miller, pastor de Cúcuta, referenciando a participação das muitas igrejas de várias denominações que se uniram para um propósito, “em uma só voz”, para compartilhar Jesus com seus amigos, familiares e vizinhos.

“O próximo passo”, disse Miller, “inclui igrejas locais contatando os novos cristãos e envolvendo-os em uma congregação”.

Estima-se que 1 milhão de venezuelanos tenham cruzado a fronteira para a Colômbia nos últimos anos, em busca de comida e trabalho. Muitos deles desembarcaram em Cúcuta, atravessando a vizinha Ponte Simon Bolivar.

Franklin assegurou-lhes que Deus se importa mais do que eles poderiam saber. Tanto que Ele veio à Terra para morrer pelos nossos pecados na cruz. “Mas ele não ficou morto”, destacou.

Testemunhos e conversões

O Festival teve alguns momentos inesperados, mas alegres. Uma conselheira voluntária entrou em trabalho de parto no sábado à noite quando ela estava conversando com uma pessoa que se converteu a Cristo, quando preciso ser levada para o hospital. Ela teve um bebê saudável não muito tempo depois.

Angie Pabón, de 14 anos, foi à FestiKids na quinta-feira e no Festival de sexta-feira, mas não tinha certeza do que fazer com o que estava ouvindo até que se decidiu no sábado. Ela caminhou até a frente do palco com sua família e disse a uma conselheira chamada Glency Blanco que ela estava pronta para começar sua vida com Jesus.

O filho de Glency, Diego, também com 14 anos, foi quem levou sua mãe a Cristo no ano passado. Sua família tinha acabado de se mudar da Venezuela e se estabeleceu perto de uma igreja quando seu filho anunciou que ele iria começar a frequentar aos domingos. Glency viu uma mudança nele e decidiu se juntar a seu filho.

Ela viu como a fé trouxe paz ao relacionamento e a outras áreas de suas vidas. É o que ela quer para todos os que entregaram suas vidas a Cristo neste fim de semana.

O Pr. Franklin incentivou todos os que começaram uma nova vida com Jesus a irem à igreja no dia seguinte e “contar a um pastor o que você fez aqui hoje”.

Fonte: Guiame