Pastor diz que Bolsonaro foi escolhido por Deus como o “Ciro do Brasil”

O presidente Jair Bolsonaro publicou um vídeo neste domingo (19), em sua página no Facebook, em que é apontado como o “Ciro do Brasil” pelo pastor francês Steve Kunda. Na legenda, o presidente afirmou que “não existe teoria da conspiração” e que “quem deve ditar os rumos do país é o povo”.

“Na história da Bíblia, houve políticos que foram estabelecidos por Deus. Um exemplo é quando falam do imperador da Pérsia, Ciro. Antes do seu nascimento, Deus fala através de Isaías: ‘Eu escolho meu servo Ciro’. E o senhor Jair Bolsonaro é o Ciro do Brasil”, disse Steve Kunda no programa Bate-Papo, transmitido em abril pela emissora Rede Super.

A Bíblia relata que o rei da Pérsia autorizou os judeus a regressarem à Judeia, pondo fim ao período do cativeiro Babilônico.

“Eu não moro aqui, mas falo da parte de Deus. Vocês aceitando ou não, vocês, sejam de esquerda ou direita, o senhor Jair Bolsonaro é o Ciro para o Brasil. Deus o escolheu para um novo tempo, uma nova temporada no Brasil”, acrescentou o pastor, que é fundador da Mission Chretienne Ouvriers de L’Evangele, na França.

O apóstolo pediu ainda que os cristãos brasileiros orem por Bolsonaro, ao invés de passar seu tempo o criticando. “Juntem suas forças, sustentem esse homem, orem por ele, o encorajem. Não faça parte da oposição, venha fazer proposição. Tenha uma visão nacional para a emancipação da nação”, aconselha.

Antes das eleições no Brasil, o pastor disse que Deus mostrou a ele que os primeiros dois anos de governo não seriam fáceis e que Bolsonaro encontraria obstáculos, “mas foi Deus quem o escolheu”.“O Brasil vai ser um centro para a América Latina e vai influenciar as nações, mesmo no plano espiritual”, destacou.

Pedido para a unidade

O pastor também fez um apelo para que os cristãos caminhem em unidade. “Quero falar para todos os crentes e pastores: saiam da divisão, saiam de denominações. Deus é um. Vamos colocar as denominações de lado. Deus quer derramar um novo avivamento no Brasil”, afirmou.

“A igreja tem como visão influenciar a sociedade positivamente. Por isso, povo de Deus, pastores, estejam na unidade, esqueçam as divisões, esqueçam as denominações. Deus não é protestante, não é evangélico, não é católico, não é batista, não é testemunha de Jeová. Deus é Deus. É indivisível”, completou.

Ele ainda alertou que “se o Brasil não aproveitar esse tempo, a queda do Brasil será terrível”. “Eu falo como profeta e servo de Deus. Não estou aqui para te dar lições, mas para dizer o que Deus me falou”, reforçou.

O pastor contou que foi desaconselhado por outros líderes a opinar sobre a política no Brasil. “Eu fiz um vídeo e publiquei, muitos pastores me falaram para não dizer nada porque muita gente não gostava do Bolsonaro. Mas da mesma forma que Deus escolheu Ciro, Deus escolheu Jair Bolsonaro presidente do país que eu respeito e honro”.

Fonte: Guiame

Polícia investiga grupo terrorista que ameaça Bolsonaro e ministros

O grupo autointitulado “Sociedade Secreta Silvestre” tem feito ameaças ao presidente Jair Bolsonaro e a ministros, incluindo ataques a bomba contra Damares Alves e Ricardo Salles.

A divisão antiterrorismo da Polícia Federal tem investigado o grupo em busca de seus integrantes que se declaram “ecoterroristas” e “anticristãos”. Eles foram responsáveis pela bomba caseira colocada na porta de uma igreja a 50 quilômetros do Palácio do Planalto.

O grupo também assumiu a autoria dos ataques em uma sede do Ibama em Brasília, onde dois carros foram incendiados e onde a polícia encontrou fragmentos de bomba caseira.

A revista Veja teve acesso aos documentos da investigação contra a tal “Sociedade Secreta Silvestre”, incluindo as ameaças feitas por eles em um site. Para os investigadores, as condutas dos envolvidos são “extremamente graves” por conta do uso de artefatos explosivos.

Fonte: Gospel Prime

“Se não fosse o cristianismo, não haveria libertação de escravos”, diz trineto da Princesa Isabel

O deputado federal Dom Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP) foi vaiado durante a sessão solene em homenagem à abolição da escravatura no Brasil por citar que a libertação dos escravos foi graças ao cristianismo.

O trineto da Princesa Isabel fez um apanhado de dados históricos sobre o fim da escravidão, desde a Grécia antiga, declarando que a escravidão “é parte da natureza humana”, mas que em contexto de paz, regras e com uma constituição surge a consciência e a indignação contra as desigualdades.

Enquanto ele falava na tribuna da Câmara dos Deputados, um grupo de manifestantes do movimento negro, liderados por deputados de esquerda como Erika Kokay (PT-DF) e Talíria Petrone (PSOL-RJ).

Quando Dom Luiz cita o cristianismo, o grupo lança vaias contra ele. “Se não fosse o cristianismo, não haveria libertação de escravos na Europa. Os valores cristãos criaram sim o fim da escravatura nas tribos europeias, deram o norte moral para as famílias fundadoras, encabeçando os seus territórios e nos seus territórios eles declararam o fim da escravatura”, disse.

Enquanto apoiadores da monarquia aplaudiam, o grupo de manifestantes seguiam vaiando o deputado federal que é autor do pedido de homenagem aos 131 anos da assinatura da Lei Áurea, completados na última segunda-feira (13).

Dom Philippe continuou seu pronunciamento listando dois fatores importantes para garantir o fim da escravidão: a criação do Estado e o norte moral dado pelo cristianismo. Ele também citou que a Igreja Católica foi importante para defender o fim da escravatura nos países fora da Europa.

Fonte: Gospel Prime

Virada Cultural em São Paulo terá palco dedicado inteiramente à música gospel

Nos dias 18 e 19 de maio a cidade de São Paulo oferecerá a 15ª edição da Virada Cultural e este ano o evento oferecerá um palco exclusivo para a apresentação de bandas do gospel.

Montado na Praça da Sé, Marco Zero da capital paulista, o palco receberá artistas como Priscilla Alcântara, Laura Souguellis, Pregador Luo e banda Ao Cubo.

No sábado (18) estão confirmados os cantores: Priscilla Alcântara, Rick Digilio, Dunga, Sarah Farias e Tom Carfi. No domingo se apresentam Anderson Freire, Lito Atalaia, Pregador Luo, Ao Cubo, Coral da Escola de Música Municipal,
Banda Alma Livre (LIBRAS), Laura Souguellis, Vocal Livre, Kemuel e Rosa de Saron.

Os shows começam às 18h do sábado e se encerram às 17h do domingo.

 

Confira a programação completa:

PALCO SÉ – MÚSICA CRISTÃ
SÁB (18) 18h – 19h Priscilla Alcântara
SÁB (18) 19h15 – 19h45 Rick Digilio
SÁB (18) 20h – 21h Dunga
SÁB (18) 22h – 23h Sarah Farias
SÁB (18) 23h15 – 23h45 Ton Carfi
DOM(19) 00h – 01h Anderson Freire
DOM(19) 01h15 – 01h45 Lito Atalaia
DOM 02h – 02h30 Pregador Luo
DOM 02h45 – 03h15 Ao Cubo
DOM 08h – 09h Coral da Escola de Música do Municipal
DOM 10h – 11h Banda Alma Livre LIBRAS
DOM 12h – 13h Laura Souguellis LIBRAS
DOM 13h15 – 13h45 Vocal Livre
DOM 14h – 15h Kemuel LIBRAS
DOM 16- 17h Rosa de Saron LIBRAS
Mestre de Cerimônia – Bianca Pagliarin

Fonte: Gospel Prime

Grávida de bebê anencéfalo não aceitou abortar: “Estávamos fazendo a vontade de Deus”

Em janeiro de 2014 Mariana Torres Roveda e seu esposo, Denis, descobriram que teriam um segundo bebê e a notícia deixou todos felizes e animados. Mas durante o exame de ultrassonografia da 13ª semana de gestação, o médico revelou que o bebê tinha uma má formação no cérebro.

“A médica falou: ‘infelizmente o bebê tem um problema, ele não formou a calota craniana e não tem tratamento, é uma má formação que não é compatível com a vida. Vou fazer um laudo para você levar ao Ministério Público e interromper esta gestação’”, relembra.

Mariana contou que ela e seu esposo tinham alguns meses de convertidos e resolveram que ela não faria o aborto. Em entrevista ao Gospel Prime, ela revela o motivo para escolherem levar a gravidez a diante: “Jesus Cristo, e a certeza de que estávamos fazendo a vontade de Deus”.

O médico que acompanhou seu pré-natal também aconselhou a interrupção da gravidez, uma vez que a legislação brasileira autoriza o procedimento para casos como o dela, quando o bebê não tem cérebro.

 

Alguns familiares do casal também o aconselharam a fazer o aborto, mesmo assim eles negligenciaram esses conselhos e seguiram com a gravidez.

O momento mais difícil na gestação do Davi, nome escolhido após descobrirem que era um menino, foi o último trimestre.

“Nas últimas semanas eu clamava muito a Deus para que me permitisse ficar com Davi, eu sabia que nosso tempo com ele estava se aproximando do fim”, diz Mariana que não teve complicações durante a gestação.

“A fé foi o que nos manteve de pé durante todo esse tempo, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, sentimos Deus a todo instante conosco”, relatou.

O Davi nasceu e sobreviveu por 47 minutos e ela pode conhecê-lo. “Foi o nosso primeiro encontro e a nossa despedida. Eu liberei ele pra Deus, para que Deus pudesse recolhê-lo e foi um processo muito natural, com o coração parando de bater. Em nenhum momento eu me arrependi”, disse.

“Depois do Davi, tivemos mais três gestações, destas 3, 2 eu perdi nas primeiras semanas e atualmente estou grávida de 7 meses, pra honra e glória do Senhor, de mais um menino chamado Yohan que significa Deus é bondoso, ele se formou com perfeição e a gestação segue normalmente”, completou Mariana.

 Fonte: Gospel Prime

Senado vota “PEC da vida”, apoiada pela bancada evangélica

De autoria do ex-senador Magno Malta, a PEC 29/2015 altera a Constituição Federal, acrescentando no art. 5º a explicitação “da inviolabilidade do direito à vida, desde a concepção”.

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), deverá votar o tema esta semana. Um levantamento publicado pela IstoÉ mostra que nenhuma das 13 senadoras mulheres da legislatura atual se declarou a favor das discussões sobre a descriminalização do aborto.

O projeto originalmente prevê legalidade do aborto em somente duas exceções: se a vida da mãe estiver em risco e se a gestação for resultado de estupro. O ponto de tensão é quando retira a terceira exceção existente hoje, o aborto de feto anencéfalo, legalizada desde 2012 por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

A Proposta de Emenda à Constituição tramita no Congresso desde 2015, sendo apoiada pela bancada evangélica. Como Malta não se reelegeu, o projeto foi desarquivado no começo deste ano pelo senador Eduardo Girão (PODE/CE).

Caso seja aprovada pelo Senado, a medida pode barrar de vez qualquer avanço nas discussões sobre a descriminalização do aborto no Brasil.

Fonte: Gospel Prime

“Todos os médicos diziam que eu morreria no próximo parto, mas tive dois filhos”

A cabeleireira Roseli Cristina Narciso testemunhou um grande livramento que viveu após perder um bebê. Em sua primeira gestação, Roseli entrou em trabalho de parto com 32 semanas e a criança não resistiu.

Por conta do quadro desenvolvido de pressão alta, Roseli poderia sofrer de pré-eclâmpsia. Em entrevista ao Prova Viva, da Rede Super, ela conta que os médicos chegaram a alertar que num próximo parto, ela morreria, pois não aguentaria o processo.

Um ano e meio depois, ela precisou se hospitalizada com sangramentos e descobriu que estava grávida e tinha perdido o bebê. Ela não suspeitava da gestação, então sofreu muito ao descobrir que o bebê tinha morrido.

“Sempre me agarrei aos pés do Senhor”, declara ela que sempre teve a certeza de que, mesmo se não fosse mãe, sempre seria filha de Deus. E ela não desistiu do sonho de ter um filho e procurou outros médicos.

Tempo depois ela sentiu mudanças em seu ciclo menstruação e descobriu que estava grávida de quatro meses. A gravidez não teve complicações e o Vitor, seu primeiro filho, nasceu de parto normal.

Dois anos depois, Roseli engravidou novamente e Emily nasceu de parto normal, perfeita, em uma gravidez que honrou a fé do casal.

Fonte: Gospel Prime

Escolas podem trocar Dia das Mães pelo “Dia de quem cuida de mim”

A Secretaria Estadual de Educação do Tocantins orientou as escolas que substituam o Dia das Mães pelo “Dia de quem cuida de mim”. A circular enviada para as escolas estaduais gerou muita polêmica entre os educadores e também nos pais.

O caso foi debatido na Câmara Municipal de Palmas, o vereador Filipe Martins (PSC), se colocou contra a orientação da secretaria e criticou a retirada da homenagem às mães.

“Eliminar o dia das mães é uma afronta à sociedade. Peço que esta Casa de Leis envie uma Moção de Repúdio e que o Governo do Estado possa esclarecer e rever essa mudança”, disse.

O vereador Diogo Fernandes (PSD) sugeriu que a Câmara se una para entrar com um mandato de segurança para impedir que a medida seja adotada.

“Não podemos jamais tolerar que o posicionamento ideológico de um ou de outro seja impositivo na sociedade”.

Inserir todas as famílias

Ao ser questionada sobre a mudança das comemorações de Dia das Mães, a secretária estadual de Educação, Adriana Aguiar, disse que a mudança visa “inserir todas as famílias”.

“Desta forma, crianças cujas mães não estejam presentes, por qualquer motivo que seja, poderão inserir nas celebrações da data as pessoas que lhes dão carinho, proteção e cuidado todos os dias (pai, avó, avô, tio, tia, etc.)”

Na nota, a “Seduc reforça que a ação não foi imposta a nenhuma unidade de ensino e que cada escola possui autonomia para definir a melhor forma de celebrar/comemorar o Dia das Mães com as tradicionais homenagens”.

Fonte: Gospel Prime

Projeto aprovado na Câmara autoriza isenção de ICMS para igrejas

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou, por 382 votos a 6, o Projeto de Lei Complementar n. 55/2019, de autoria da deputada Clarissa Garotinho (Pros-RJ). A norma permite que os Estados prorroguem, por mais 15 anos, isenções de ICMS para igrejas (templos de qualquer culto) e entidades beneficentes de assistência social.

Detalhe: os deputados de esquerda (PT, PSOL e PCdoB) votaram pela obstrução da pauta, o que significa dizer que simplesmente não querem trabalhar no Parlamento, travando todas as discussões que pretendem mudar o país. E os deputados que votaram contra as igrejas foram: Alexis Fonteyne (Novo-SP), Gilson Marques (Novo-SC), Luiz Flávio Gomes (PSB-SP), Paulo Ganime (Novo-RJ), Rodrigo Agostinho (PSB-SP) e Tiago Mitraud (Novo-MG).

Voltando ao assunto, no Rio de Janeiro, por exemplo, desde 1999 o Estado proibiu a cobrança de ICMS dessas organizações em suas contas de energia e gás, o que gerava um desconto de mais de 30% no valor final. Só que a Lei Complementar n. 160/2017 – querendo acabar com a guerra fiscal entre os Estados – previu que tais benefícios só poderiam ser renovados até dezembro de 2018.

Devemos lembrar que a norma de 2017 já havia permitido a permanência dos incentivos fiscais, pelos mesmos 15 anos, para vários setores, como a agroindústria, a infraestrutura portuária e o transporte urbano. Antes de comecem a “berrar” pelo Estado Laico, não se trata de qualquer tratamento privilegiado às igrejas, que, aliás, desenvolvem inúmeros trabalhos relevantes de interesse público.

Mas, você pode se perguntar: se já existe a imunidade tributária das igrejas, por qual motivo elas pagam o ICMS? A resposta é: porque o Supremo Tribunal Federal faz uma interpretação restritiva da imunidade.

Apesar de sermos nós, consumidores finais, os que realmente arcamos com o imposto, a lei impõe a obrigação de recolhimento às concessionárias de energia elétrica, por exemplo. Ou seja, o consumidor é apenas o contribuinte de fato (ele paga o imposto), mas não o contribuinte de direito (responsável perante o Estado). E, segundo o STF, a imunidade abrange apenas esses últimos. Nada mais ilógico!

Assim, enquanto o Supremo não mudar seu entendimento – para corretamente analisar as imunidades – ainda serão necessárias as isenções. E, nesse sentido, a aprovação do projeto na Câmara é, de fato, motivo para comemorarmos.

Mas o texto ainda precisa passar pelo Senado e, depois, ser sancionado pelo Presidente da República, para começar a valer. Esperamos que isso ocorra, e em breve.

Fonte: Gospel Prime

Herói da Liga, Lucas Moura afirma: “Quero ser lembrado como um homem de Deus”

“Não tenho dúvidas da presença de Deus em minha vida, Ele me ajudou muito”, declarou Lucas Moura o herói do Tottenham na Liga dos Campeões. Após marcar os três gols na virada histórica de seu time, que garantiu a presença na final, o jogador deu entrevista dizendo que “Deus é maravilhoso”, que considera sua melhor atuação até hoje.

Ele enfatizou que suas habilidades no futebol são “um talento que Deus me deu”. Falando ao site especializado X The Line, assegurou: “Não acredito que é só um grande presente de Deus… Se Ele me desse esse talento é porque Ele quer me usar nesse ambiente, no meio do futebol, Ele quer cumprir alguns de seus propósito através do futebol.

Em sua conta do Instagram, logo após a partida desta quarta (8), Lucas postou uma foto dele com o versículo bíblico: “Para Deus nada é impossível. Lucas 1:37”

O time de Lucas foi para o intervalo do jogo contra o Ajax perdendo por dois gols. A equipe inglesa fez 3, sendo o decisivo nos últimos segundos da partida. O jogador brasileiro se tornou o “herói” e foi elogiado de maneira unânime pelos programas esportivos de todo mundo.

Fé conhecida

Lucas converteu-se quando jogava no PSG, em 2013. Desde então já falou sobre sua fé em Jesus em diversas entrevistas e compartilhou versículos com regularidade nas redes sociais.

Suas atuações como jogador são importantes, mas ele diz que gostaria de ser lembrado por outra coisa. “Sem dúvida, todo jogador quer ser lembrado por tudo que fez no campo, pelas atuações, pelos títulos… Eu quero isso. No entanto, também quero ser lembrado principalmente pelo meu exemplo como pessoa. Quero ser lembrado como um homem de Deus, uma pessoa com boa atitude, eu acredito que é o que mais importa, ser o bom exemplo de uma pessoa quem ajuda os outros a encontrar Deus. Eu quero ser lembrado por isso”, assegura.

O Tottenham disputará sua primeira final da Liga dos Campeões no dia 1º de junho. Mesmo que não saia vencedor, a história da equipe na temporada já ficou marcada pelo feito protagonizado por Lucas Moura no jogo contra o Ajax.

Fonte: Gospel Prime